rs_slogan
rs_boletim2
rs_compartilhe

Notícia

Acusado de tentar matar PM é condenado 7 anos

Réu achava que policial o havia denunciado por trafico de droga

Jurados do 4º Tribunal do Júri de Belém, presidido pelo juiz Cláudio Henrique Rendeiro, votaram pela condenação de Eduardo Carneiro da Silva, 23 anos, conhecido por Bochecha, acusado de tentativa de homicídio contra o polical militar reformado Alberto Barbosa da Silva, 59 anos.

A pena base fixada de 22 anos de reclusão foi reduzida em 2/3, em razão do homicídio ter sido apenas tentado. Por fim, a pena foi fixada em 7 anos e 4 meses de reclusão. Por estar preso há um ano e dois meses, o juiz aplicou a detração, restando 06 anos, um mês, e 24 dias de reclusão, sendo negado o direito do sentenciado de apelar da sentença em liberdade.

A decisão acolheu a acusação do promotor Alexandre Manoel Rodrigues, que sustentou em conjunto com o advogado assistente de acusação Nelson Fernando Leão, a tese de que o réu cometeu tentativa de homicídio qualificado, por vingança.

Mateus de Oliveira Figueiredo, conhecido por Playboy, comparsa de Bochecha, também acusado de participação da tentativa de homicídio, teve o processo desmembrado com a suspensão do prozo prescricional, por não ter sido localizado,

O defensor público Alex Noronha promoveu a defesa do acusado requereu que os jurados desclassificassem o crime de tentativa de homicídio para lesão corporal, mas o pedido foi rejeitado.

Em interrogatório, Eduardo Carneiro negou a autoria do crime. O réu confessou que conhece a vítima e seu familiares por ser morador da área, e admitiu que, quando adolescente, cometeu ilícitos penais.

A motivação da tentativa de homicídio, conforme as investigações, seria uma suposta denúncia do militar que resultou em batida policial na casa de Bochecha. Por isso dois tentaram se vingar do vizinho.

O crime ocorreu por volta das 16h, do dia 20/07/2015, quando a vítima foi surpreendida pelo réu e mais um comparsa. Eles atiraram contra o policial, que procurou se esconder atrás de uma veículo, mas foi atingido com dois projéteis. O amigo que estava ao lado da vítima, Izaias Ferreira do Nascimento, também foi atingido de raspão.

Após os disparos, a dupla fugiu do local e somente Eduardo Silva foi capturado e preso. A vítima foi socorrida por populares e familiares que o levaram até um hospital de pronto atendimento, onde permaneceu por quatro dias e em seguida recebeu alta.

Fonte: Tribunal de Justiça do Estado do Pará
Produtos Online


Esqueci minha senha

b_teste_gratis
pixel